domingo, 26 de setembro de 2010

Um amor livre...


O cenário é uma praia tipicamente amazônica, às margens do rio Tocantins. Tiely parece não acreditar no que está acontecendo. A menos de doze horas ela estava em Brasília enfrentando uma maratona entre a redação do jornal e a assessoria de imprensa que trabalha. Marcus já havia planejado mais de três vezes esse mesmo encontro, mas somente agora conseguiu realizar.
Os dois não se viam desde o inicio do ano, quando Tiely foi contratada por um jornal em Brasília e Marcus foi chamado para trabalhar numa TV no interior do Pará. O destino separou os corpos, mas jamais a alma dos dois. Nesse exato momento tudo que eles queriam era que o tempo parasse.
Marcus estaciona a moto na orla da praia, enquanto Tiely tira os sapatos e vai em direção à água. A praia está deserta. Tudo parece perfeito demais até cinco minutos após a segunda vez que fizeram amor. Marcus fala que essa vai talvez seja a última vez que os dois estarão juntos. Tiely muda seu semblante e pede para ele repeti.
Ele diz que está apaixonado por outra pessoa. Ela baixa a cabeça, respira fundo e depois ri. Ele não entende nada. “Isso não é motivo para a nossa separação. Eu também estou apaixonado por outra pessoa. Mas o que sentimos um pelo outro é maior que tudo”, diz Tiely. Os dois se beijam e começam mais uma noite de amor.

2 comentários:

  1. Acontece. Nas melhores famílias. rs

    ResponderExcluir
  2. E quem disse que o amor cabe num cercado?

    As convenções? O moralismo? Quem?!

    O amor não cabe numa relação só e ponto!

    Bjs!

    ResponderExcluir